Servidores rebatem a proposta do ponto eletrônico na UFPR

582

Na assembleia extraordinária de greve ocorrida nesta manhã os (as) servidores (as) rechaçaram a instalação do ponto eletrônico em toda UFPR, prevista par ter início em 1º de julho.  Após o indiciamento de 10 médicos que não cumpriam o horário de trabalho no Hospital de Clínicas, a adoção do ponto eletrônico invadiu a atmosfera sem o menor sinal de diálogo.

A crítica intrínseca dos servidores é de que o ponto eletrônico servirá apenas de fachada moral, tendo em vista a ineficiência – as fraudes podem continuar ocorrendo – e o caráter discriminatório, pois os professores e cargos de chefia não são obrigados por lei a cumprir o procedimento, por exemplo.  “No nosso entendimento quem burla um sistema de controle, burla outro também. Não é isso que vai garantir que eles vão agora se dedicar a sua função pública, isso vai servir como mais um elemento de ameaça e coerção aos técnicos”, denuncia Carla Cobalchini, da direção do Sinditest.

Para o diretor Márcio Palmares houve complacência em relação aos médicos fantasmas durante anos, a direção e as chefias não tomaram nenhuma atitude. “Eles não têm moral nenhuma de cobrar isso. Tem uma pá de médicos fazendo o mesmo, mas eles sacrificaram apenas 10 pessoas. O que querem é gradativamente agravar a situação de exploração do trabalho e adaptar a concepção de empresa privada, que é a EBSERH”.
marciocsdfgsg
“Essa história de colocar ponto pra pião bater está errada. Se for assim, então temos que discutir a moralidade dessa administração da Universidade e do HC. Não temos medo de debater. Qual é a proposta que nós temos para universidade pública brasileira? Não queremos uma universidade com donos e peões, e por isso mesmo, estamos propondo a paridade no Conselho Universitário”, defendeu o diretor Luiz Fernando Mendes.

Ponto eletrônico afronta a jornada de 30 horas

No entendimento dos servidores o ponto eletrônico é uma forma de aumentar a exploração do trabalho e inviabilizar a implementação das 30 horas em todos os setores. Os servidores da UFPR conquistaram na greve de 2011 a resolução 56/11, que garante a flexibilização da jornada de 30 horas, mas que ainda enfrenta severos bloqueios e boicotes da administração superior para se estender em todos os setores da instituição.

angela
Para Ângela Carolina Castro Simões, servidora da UFPR, a preocupação dos trabalhadores é com a qualidade do trabalho e com o arquétipo das relações de trabalhistas que emergem de dentro das universidades. “Nós temos boas condições de cumprir com nosso trabalho? O papel da universidade é de propor novos comportamentos, de quebrar paradigmas e não de aceitar a ideia que vem do patrão, de imposição de horário. Temos que continuar estudando para desempenhar melhor o trabalho e as 30 horas fazem diferença na nossa qualidade de vida”.

Na visão de Carla Cobalchini, diretora do Sinditest, o que está em disputa não é mera questão moralista ou um método prático, mas sim questionar as formas de controle do patrão sobre a vida dos trabalhadores.  “Para além da nossa força de trabalho, de resolver problemas que a administração pública cria, o patrão tem domínio sobre outra coisa que são nossa capacidade e nossa saúde, que é do tempo. Nessas 6 ou 8 horas de trabalho estamos subordinados a ele e esse tempo está em disputa”.

Pauta Local de Greve UFPR

Os servidores da UFPR estão em processo de construção da Pauta Local e hoje pela manhã complementaram algumas propostas. A pauta deverá ser concluída em breve. Nos próximos dias os servidores irão fazer reuniões setoriais e mesa de debate sobre o ponto eletrônico e a implantação das 30 horas para o conjunto da categoria, propondo melhorias à Resolução 56/11. Posteriormente a proposta, que será indexada à Pauta Local de Greve, será apresentada ao Conselho Universitário,

Adriana Possan
Assessoria de Comunicação do Sinditest

Compartilhar.

Autor

582 Comentários

  1. Pingback: beach front sex games

  2. Out-and-out use of can you buy stromectol over the counter. canine ivermectin for sale is largest captivated as a sole dosage with a full barometer (8 ounces) of water on an empty need (1 hour before breakfast), unless otherwise directed by way of your doctor. To keep from clear up your infection, rip off this medication exactly as directed. Your doctor may privation you to carry off another amount every 3 to 12 months. Your doctor may also command a corticosteroid (a cortisone-like medicine) an eye to indubitable patients with river blindness, particularly those with severe symptoms. This is to steal convert the sore caused by means of the destruction of the worms. If your doctor prescribes these two medicines together, it is formidable to take the corticosteroid along with http://stro-me-ctol.com. Weather them exactly as directed close your doctor. Do not miss any doses. Dosing. The dosage of this nostrum drive be different for the sake of different patients. Observe your doctor’s orders or the directions on the label. The following poop includes at best the average doses of this medicine. If your quantity is different, do not modulation it unless your doctor tells you to do so. The amount of nostrum that you clutch depends on the tenacity of the medicine. Also, the crowd of doses you find suitable b leave each period, the experience allowed between doses, and the completely of nevertheless you withstand the physic depend on the medical imbroglio for which you are using the medicine.

  3. I would like to credit the stave at the Greeley 16th St. azithromycin in the interest of the kindness extended to me yesterday when I pick-up my RX, the clerk took the time to get across how to use it and answered my questions. Thank you again!

Leave A Reply

X