Há pouco a comemorar no 55º aniversário do HC

0

um9

O Hospital de Clínicas da UFPR completa 55 anos nesta sexta-feira, 5 de agosto. A data, no entanto, não é de comemoração. Com as condições de trabalho precárias, a terceirização crescente e a falta de insumos básicos, a qualidade do atendimento à população caiu. Além de conviverem com atrasos de salário e benefícios recorrentes, os trabalhadores sofrem assédio e retaliações e adoecem com o clima de pressão.

 “O HC chegou a esse nível de excelência mundial principalmente graças ao seu quadro de pessoal e aos estudantes, graças às pessoas que estão e estiveram ali dentro. Hoje, devido a essa nova política federal que vem sendo implementada através da Ebserh, este aniversário é triste, marca uma data que o hospital está um caos”, pontua o coordenador geral do Sinditest José Carlos de Assis.

O capital humano, responsável por elevar o hospital ao patamar que tem hoje, não é prioridade da direção ou do governo federal. “O modelo empresarial produtivista da Ebserh esquece das pessoas, as condições de trabalho não interessam.  O foco é fazer números e cumprir metas a qualquer custo para receber os repasses do Estado.” José Carlos ressalta que inclusive os trabalhadores da Ebserh estão sofrendo e adoecendo com a pressão por metas e números.

A consequência é a perda do caráter de hospital público, gratuito e de qualidade. A população que usa o HC está tendo cada vez mais dificuldade de receber atendimento adequado. Diante do quadro de precarização e sucateamento, o sindicato se mantém forte na luta por um HC melhor para todos.

“O Sinditest continua acreditando que o hospital pode voltar a ser o HC dos sonhos do povo do estado do Paraná e dos trabalhadores. Comemoramos essa data com todas essas críticas torcendo para que no próximo aniversário a situação esteja melhor”, finaliza o coordenador.

Luisa Nucada

Assessoria de Comunicação e Imprensa do Sindistest-PR.

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X