Reunião do Espaço de Unidade de Ação indica luta e paralisações de 7 a 9 de abril e convoca Centrais Sindicais a preparar uma Greve Geral

0

O Espaço de Unidade de Ação, reunido no Rio de Janeiro na última sexta-feira (6) apontou a necessidade de ampliar a luta dos trabalhadores em defesa de seus direitos. Entre as resoluções, apontou-se a importância de construir um novo dia de mobilização com paralisações a ser realizado de 7 a 9 de abril, coincidindo com as jornadas de mobilização dos servidores públicos federais. Uma nova reunião, a ser realizada em São Paulo no 20 de março, antecedida por reuniões nos estados e nas entidades sindicais, estudantis e dos movimentos populares e contra opressões deve preparar e debater a nova data de luta.

Decidiu-se ainda pela participação no Dia Nacional em Defesa da Educação, em 26 de março, conjuntamente com as entidades estudantis, como a ANEL e o Juntos.

Greve geral – Outro ponto em destaque foi a necessidade de preparação de uma greve geral no Brasil. Para os presentes à reunião, é somente pela luta da classe trabalhadora que os planos de ajuste do governo poderão ser derrotados e, para tal, diversas categorias já começam a se mover. Assim, o Espaço de Unidade de Ação faz um chamado para que as Centrais Sindicais tomem a frente da preparação desta luta em defesa dos direitos dos trabalhadores duramente atacados pelo governo Dilma.

Segundo Sebastião Pereira, o “Cacau”, da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, o dia 6 de março demonstrou que é possível unificar e ampliar as lutas, pois os trabalhadores demonstraram uma disposição de luta expressiva. “Tivemos greves importantes, como na construção civil de Belém e Fortaleza, trabalhadores em confecções de Fortaleza, cimenteiros e petroleiros em Sergipe, metalúrgicos de Minas Gerais e São José dos Campos, além de atos realizados em vários locais do país. Alguns deles anteciparam as comemorações do Dia Internacional de Luta da Mulher Trabalhadora, o 8 de março”.

Fasubra indica Greve Geral – A indicação de preparação de Greve Geral é bem recebida por categoria de trabalhadores. Um exemplo é a Plenária Nacional da Fasubra, realizada neste fim de semana, ter aprovado um chamado às Centrais Sindicais para realização de uma greve geral ainda neste semestre, um dia de paralisação, junto com as demais categorias da educação federal para 26 de março e indicativo de greve para o mês de maio.

Para o Espaço Unidade de Ação, será através da unificação dessas lutas, sob uma pauta que aproxime essas categorias, que os ataques que a classe vem sofrendo poderão ser impedidos.

Na reunião do Rio de Janeiro estivavam presentes delegações de servidores públicos de vários estados, que haviam ido para o ato nacional do 6 de março, como Ceará, Amazonas, Pará, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio de janeiro. Também estavam representantes da CSP-Conlutas, Unidos para Lutar, Construção Socialista, Juntos, Quilombo Raça e Classe e da ANEL.

Fonte: CSP-Conlutas

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X