Mesmo com graves riscos à comunidade e com capacidade reduzida Reitor autoriza reabertura do RU do Botânico

0

As rachaduras ameaçam os usuários do RU Botânico desde o início de 2014. 

O RU do Botânico termina 2014 e começa 2015 muito mal das pernas. O RU não deveria nem estar aberto devido aos graves problemas de estrutura, mas está funcionando neste momento, com apenas 30% da sua capacidade. Estão sendo servidas 500 refeições por dia e apenas no almoço. Os estudantes e visitantes têm que chegar mais cedo do que o costume e enfrentar uma longa fila para conseguir umas das 500 senhas que estão sendo distribuídas e garantir o almoço do dia.

Para dar conta de fornecer aproximadamente 1600 refeições no almoço e 600 no jantar, o RU deveria contar com mais 54 trabalhadores (terceirizados!). No entanto, justamente por conta a interdição no dia 12/12/14, a administração não fez a contratação em tempo hábil. Ao invés disso, sem resolver os graves problemas que afetam a estrutura do restaurante e sem resolver os problemas de contratação, a Pró-reitoria de Administração da UFPR e o Reitor Zaki Akel, através de seu “engenheiro de confiança”, resolveram soltar um laudo para abrir o RU no último dia 04 de março.

O bloco ligado à rampa e aos banheiros interditados já está se separando do restante da estrutura. 

As enormes rachaduras nas paredes no prédio continuam do mesmo jeito, não mudou nada desde o ano passado. Os banheiros internos e a rampa de entrada de acesso ao prédio estão interditados. Esses setores ficam no local onde está suspensa uma enorme caixa d’água, sendo um dos locais com problemas mais críticos, em que a estrutura está cedendo a olhos vistos! As rachaduras são tão grandes que dão a impressão de que estão se “separando” do restante do prédio.

Os servidores e os trabalhadores terceirizados são os que mais estão sendo penalizados por toda situação. Estão sendo obrigados a trabalhar em condições de risco e convivem cotidianamente com a promessa da UFPR de que serão feitos reparos! Hoje no almoço conversamos com três trabalhadoras terceirizadas, que relataram que estão sob pressão para trabalhar e convivem com medo de que o teto desabe.  “Os banheiros tão trancados por que tá tudo rachado e tá perigoso. A gente tem medo de vir trabalhar, mas somos obrigados, se não vier, tem que pedir a conta”, fala uma delas. Outra trabalhadora relata algo semelhante: “Eu vou ser bem sincera, todos nós estamos com medo, nós nem queríamos voltar pra cá, mas a gente não tem como escolher, não tem opções, ou você fica aqui ou então você pede a conta”.

As trabalhadoras também denunciaram que outro problema frequente no prédio são os alagamentos provocados toda vez que chove. Elas mostraram os principais locais onde acontece a molhança.  “Quando chove, chove tudo aqui dentro e a gente tem que parar tudo e secar”.

Há risco de desabamento do teto. Trabalhadoras apontam o teto mofado e já sem algumas placas por conta da entrada da água da chuva.

Em nota no site da UFPR, o diretor do RU Lineu Dal Lago, disse que o atendimento voltará ao normal na quinta-feira, dia 19 de março. O que se segue com toda essa situação é um tremendo descaso com os estudantes, trabalhadores e comunidade. O RU do Botânico precisa de uma solução urgentemente. O Reitor Zaki Akel Sobrinho e a Pró-reitoria de Administração precisam resolverer de uma vez por todas a situação da estrutura que foi entregue e 2012 e que já está caindo aos pedaços.

A rampa que está sendo utilizada agora para entrada e saída está rebaixando! O desnível pode ser visto claramente por quem transita no local.

ASCOM Sinditest

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X