Categoria aprova adesão à greve nacional contra a Reforma da Previdência

0

Mais uma vez, a base do Sinditest demonstra que está na linha da frente da luta contra a retirada de direitos. Em assembleia geral realizada hoje (28), a categoria deliberou, por unanimidade, à adesão à greve nacional do dia 05 de dezembro. Os técnicos e técnicas cruzam os braços contra a Reforma da Previdência e os demais ataques do governo Temer, que cortam na carne da classe trabalhadora.

“Na última terça-feira (21), tivemos contato com a redação final desta proposta perversa. Ela mantém a idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 para homens para todos os vínculos. Além disso, para acessar a média salarial todos terão que ter no mínimo 40 anos de contribuição e para que os RJUs se aposentem com a integralidade do último salário terão que se trabalhar até os 62 e 65 anos”, explica a coordenadora de comunicação e imprensa do Sinditest Carla Cobalchini.

Ela completa: “diante desse cenário péssimo, cuja votação está marcada para o dia 06 de dezembro, as Centrais Sindicais organizaram uma nova greve geral, que acontecerá no dia 05 de dezembro. É greve de todos(as) os(as) trabalhadores(as) contra esse absurdo que é a Reforma da Previdência”.

Para o coordenador de Organização por Local de Trabalho (OLT), Youssef Ali, a categoria agora precisa, mais do que nunca, mostrar força. “Não adianta só aprovarmos a greve aqui na assembleia. Precisamos aderir, fazer uma grande mobilização, assim como foram as greves do primeiro semestre. É conversar com o vizinho, com a família, com o colega de trabalho”.

Propaganda mentirosa

“Tem muita gente que trabalha pouco, ganha muito e se aposenta cedo”. Para enfiar goela abaixo a Reforma da Previdência não falta dinheiro. O governo investe pesado em publicidade: especialistas estimam que foram gastos até agora mais de R$ 20 milhões. A propaganda desonesta, que já está sendo veiculada no horário nobre da televisão, tem um alvo bem definido: o servidor público.

“Com a Reforma, servidores públicos ou não terão regras equivalentes. A nossa maior preocupação é manter aposentadorias e pensões sendo pagas em dia. Para isso temos que cortar privilégios”, diz o texto da campanha, que ataca sem dó o funcionalismo.

O objetivo da peça publicitária é colocar a população contra os servidores e servidoras, chamando de privilégios direitos que deveriam ser estendidos a todo o conjunto dos trabalhadores.

Em contrapartida à estratégia mentirosa, fóruns que reúnem associações e sindicatos de várias categorias começam a veicular na televisão, a partir de hoje, uma campanha para desmontar o comercial governista. As entidades não vão deixar barato: uma ação judicial será movida para impedir a veiculação da propaganda do governo.

Atividades da greve

Durante a assembleia, também foram aprovadas as seguintes atividades de greve: panfletagem nos setores marcada para amanhã (29), atividade sobre a Previdência no Botânico no dia 30, Assembleia Geral na próxima sexta-feira (01), além de assembleia setorial no Hospital de Clínicas no dia 04.

E a luta não para! Os trabalhadores e trabalhadoras se reúnem quinta-feira, dia 30, às 8h30, na Tenda da Greve, para uma intervenção no COUN. A categoria espera dos conselheiros e conselheiras a aprovação de uma moção de apoio à greve. “Quanto mais pessoas tiverem melhor. Vamos mostrar que a greve tem expressão”.

Recesso de fim de ano

Entre os informes, destaque para a questão do recesso de fim de ano. A Reitoria da UFPR, em substituição ao ofício 008/17, comunica às unidades administrativas centrais e setoriais que, no período de 26 a 30 de dezembro, as atividades administrativas terão ponto facultativo e que a compensação será feita a partir das necessidades setoriais. Já os Hospitais Universitários seguirão escala em regime de plantões, conforme deliberação de seus conselhos.

Acesse o documento na íntegra clicando aqui.

greve_5dez_panfleto_verso

Silvia Cunha,

Assessoria de Comunicação e Imprensa Sinditest-PR

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X