Temer congela reajuste e aumenta contribuição previdenciária para os(as) servidores(as)

134

A toque de caixa o presidente Michel Temer publicou na edição de ontem (30) do Diário Oficial uma nova Medida Provisória que fere na carne do funcionalismo público. A MP 805/17 muda as regras do jogo e mexe, principalmente, no bolso do(a) servidor(a): adia o reajuste salarial, aumenta a contribuição social e reduz a ajuda de custo e o auxílio moradia. Nem os aposentados e aposentadas ficaram de fora da pilantragem, que após avaliação do Congresso passa a ter efeito imediato. Entenda o porquê.

Com a MP, que dispõe sobre os servidores do Regime Jurídico Único, das autarquias e das fundações públicas federais, foram adiados os reajustes das categorias que negociaram para receber em quatro anos. Aumento agora só em 2019.

A desculpa utilizada pelo governo é a mesma de sempre: ajuste fiscal. A decisão tem efeito imediato. Sem discussão, Michel Temer ignora a pauta de negociação salarial deste ano e deixa à mingua os trabalhadores e trabalhadoras que já contavam com o dinheirinho a mais.

E vem mais “chumbo grosso” pela frente. O próximo ano já começa difícil: em fevereiro, a contribuição previdenciária dos servidores e servidoras que recebem acima de R$ 5.531,31 passa de 11% para 14%.

De acordo com matéria publicada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, ficam de fora desta  alíquota  quem ingressou antes da instituição da previdência complementar e que tenha feito opção pelo Funpresp.

Aposentados e pensionistas também entram na dança dos 14%, com exceção dos portadores de doença incapacitantes, que permanecem com os 11% descontados em folha.

Para Carla Cobalchini, coordenadora de comunicação do Sinditest, o cenário pede uma resposta urgente da classe trabalhadora. “Estamos sendo diretamente atacados. O Governo Michel Temer já demonstrou por “a mais b” que a sua intenção é desmontar o serviço público e desmoralizar a nossa categoria. Mas se ele acha que vamos ficar de braços cruzados, tá muito enganado!”.

Tramitação

O Governo tem pressa para aprovação do pacote de maldades. Começa nesta terça-feira(31) e termina na segunda (06) o prazo para apresentação de emendas ao texto, que segue para ser examinado por uma Comissão Mista do Congresso.

Mobilização

Não vamos tolerar que as nossas conquistas sejam retiradas uma a uma. O momento é crucial e pede organização da categoria.

“Estamos orientando a categoria que siga mobilizada, siga cumprindo o calendário de lutas e mobilizações que nós estamos construindo para o dia 10 de novembro. A última plenária nacional da Fasubra já previa que viriam esses ataques e agora neste momento nós estamos tentando nos articular com outros sindicatos nacionais do funcionalismo para construir um enfrentamento, uma resposta à esses ataques do governo Temer”, afirma Gibran Jordão, coordenador-geral da Fasubra, federação que representa nacional os(as) técnicos(as) administrativos(as) em educação.

Agora, está nas mãos da base do Sinditest deliberar ou não pela adesão ao movimento paredista. A situação é grave! A solução é greve! Participe da assembleia geral de amanhã (01)!

Confira abaixo as principais mudanças:

Reajuste

Congela os reajustes remuneratórios previstos para 2018 em diversas categorias dos servidores públicos.

Contribuição social

Aumenta a contribuição de 11% para 14% em salários que ultrapassam o teto do INSS, hoje R$ 5.531,31. O valor de 14% será cobrado apenas sob a parcela do salário que ultrapassar o referido valor. Esse aumento vale para os servidores que entraram antes da complementar e não optaram por ela.

Ficam excluídos os servidores que entraram antes do regime de previdência complementar e escolheram aderir ao regime. E excluídos os servidores que entraram depois da complementar independente de aderirem ou não.[1]

Os servidores aposentados por doença incapacitante pagarão os 14% sob o valor que ultrapassar o dobro do teto do INSS, ou seja, hoje R$ 11.62,02. Desatacando que, da mesma maneira, os servidores pagarão 14% sob o valor que ultrapassar o dobro do teto.

Auxílio pré-escola e adicional de irradiação ionizante

A MP alterou o nome “creche” para “pré-escola” e retirou o adicional de irradiação ionizante da base de incidência da contribuição social.

Ajuda de custo

A ajuda de custo destinada a servidores transferidos por interesse da administração, antes calculada sobre o valor da remuneração e recebida de 1 a 3  vezes, conforme o número de dependentes, a partir da nova MP 805 será limitada ao recebimento de apenas uma remuneração.

Auxílio Moradia

A MP também limita o auxílio moradia, que será recebido 100% no primeiro ano e a partir do segundo ano diminuído em 25% a cada ano, até acabar após 4 anos.

[1]Antes: Pagava 11% sob toda a remuneração quem entrou antes da complementar e não aderiu. Pagava 11% até o limite do INSS, e o excedente pela complementar quem entrou antes e escolheu aderir ou quem entrou depois e não teve opção.

assembleia_1nov_mediabox2
Silvia Cunha,
Assessoria de Comunicação e Imprensa Sinditest-PR

Compartilhar.

Autor

134 Comentários

  1. https://www.takipcintr.co/ Takipçileri arttırmanın organik yolları da
    bulunur.
    Ancak bu yollar oldukça emek ister ve ne kadar uğraşsanız da belirli bir takipçiye sahip olmadan büyümeniz neredeyse imkansızdır.
    Bu durumda takipçi satın al paketleri gereklidir denebilir.Hemen takipçi satın al paketlerinden takipcintr ile faydalan

  2. Heya just wanted to give you a quick heads up and let you know a few of the pictures aren’t loading properly.

    I’m not sure why but I think its a linking issue.
    I’ve tried it in two different browsers and both show the same outcome.

  3. Pingback: cytotmeds.com

  4. Pingback: what happens after i finish prednisone

  5. Pingback: plaquenil side effects skin rash

  6. Pingback: who makes generic dapoxetine

  7. Pingback: trump and hydroxychloroquine connection

Leave A Reply

X