Sem salário outra vez, FUNPAR/HC pode entrar em greve na quinta, 14

0

40

Em assembleia realizada hoje pela manhã no Hall da Direção os fundacionais decidiram manter assembleias permanentes e o indicativo de greve para quinta-feira, 14. O final de ano foi de aflição pela falta do 13º salário e o início de 2016 dá continuidade a agonia dos cerca de 900 trabalhadores FUNPAR/HC, que ainda aguardam pelo recebimento do salário.

“A gente está no primeiro mês do ano e já estamos sofrendo dessa forma, imagina no decorrer do ano”, apontou a coordenadora do Sinditest Carmem Luiza Moreira.

41

O pagamento deveria ser depositado até o quinto dia útil de todos os meses, mas reiteradamente não só o salário como férias, vale transporte e o fundo de garantia tem chegado atrasado. “É muito triste depois de 23 anos de trabalho estarmos aqui para imploramos nosso salário. É muito descaso coma gente. Vamos nos unir, o sindicato somos todos nós, vamos continuar mobilizados até que se resolva a nossa situação” declarou Celia Soares da Silva, coordenadora do Sinditest.

Amanhã às 7h já está marcada nova reunião permanente em frente ao hospital. Os trabalhadores da base têm se mostrado muito desgastados e desabafam: “queria perguntar se alguém aqui está contente. É uma tristeza, uma vergonha, uma humilhação o que a gente tá passando”, revelou o trabalhador Olivardo Acarine.

Reunião com o Reitor e o Diretor da EBSERH

42

“Nós temos que cobrar de quem tem nome e sobrenome essa questão. Temos que fazer de fato uma campanha para dar um basta nisso”, sinalizou Carla Cobalchini, coordenadora do sindicato. Os trabalhadores elegeram uma comissão para acompanhar a frequente situação de atrasos de pagamentos que estão acontecendo desde janeiro de 2015. Em passeata se dirigiram até a reitoria da UFPR para cobrar uma posição do Reitor Zaki Akel.

Em reunião com os trabalhadores e o gerente da EBSERH, Marcel Weldt, o Reitor informou que o dinheiro está na conta desde o dia 6, no entanto há um problema para acessar o sistema que operacionaliza as transações. “Vamos tentar fazer o pagamento amanhã, no máximo na quarta”, garantiu o Reitor. “Nós temos conta pra pagar todo final de mês. Cadê o sonho da EBSERH? Virou pesadelo…”, questionou Celia.

Rosana Regina Nunes Silva, integrante da comissão, trabalha há 28 anos no HC e disse que essa é a primeira vez que a categoria vive nesse momento desolador. “Essa situação não é de agora, todos os direitos trabalhistas estão sendo atrasados, fora o assédio moral e descontos vindos dessa diretoria que você nomeou Reitor”.

Após várias denúncias da categoria o Reitor se comprometeu dizendo que não haverá atrasos de pagamentos neste ano. “Eu posso assumir o compromisso com vocês de que não vai atrasar mais”, prometeu. Ele também marcou para sexta, 15, às 14h30 uma reunião entre os trabalhadores, Reitoria e EBSERH para tratar de todas as questões que estão afetando diretamente os fundacionais. “Nós queremos trabalhar com tranquilidade”, advertiram os trabalhadores.

1º dia da nova diretoria colegiada do Sinditest

A nova diretoria assumiu hoje oficialmente as tarefas do sindicato e já começou com a mão na massa, lutando junto com a categoria FUNPAR/HC. Mariane Siqueira, coordenadora do Sinditest, comunicou à Reitoria a disposição de diálogo do sindicato. “Quando nós falamos de universidade estamos falando de pessoas. Nesta reunião de sexta-feira esperamos que essas questões sejam mesmo observadas e resolvidas”.

Adriana Possan
Assessoria de Comunicação do Sinditest-PR

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X