Reitoria mente ao afirmar que Sinditest não representa os trabalhadores Funpar/HC

0

19

Com recursos públicos, a Reitoria da UFPR elaborou e distribui fartamente, um informativo oficial impresso comunicando a decisão do Tribunal Superior do Trabalho, em que foi negada ao Sinditest a solicitação para representar os trabalhadores do Hospital Vitor Ferreira do Amaral. É verdade, o Sindicato perdeu a causa. PONTO FINAL.

Tudo o mais que foi dito ou publicado é MENTIRA. A Reitoria, Funpar e Senalba (sindicato este que legalmente representará os trabalhadores do Vitor Ferreira do Amaral) agem de má fé quando estendem a decisão da ministra do TST, Dora Maria da Costa, para os profissionais do HC.

Em nenhuma parte do processo, composto por 17 páginas, é feita qualquer menção ao Hospital de Clínicas, menos ainda, à sua representação legal pelo Sinditest. A ministra se ateve a responder a solicitação feita quanto à representação do Sinditest aos trabalhadores do Vitor Ferreira.

Essa ação macabra, não passa de uma tramoia arquitetada pela Reitoria, Funpar e Senalba para atacar o Sindicato e retirar dos trabalhadores da Funpar, uma opção feita por eles, ou seja, ter o Sinditest como seu representante legal.

Histórico
A Funpar, fundada em 1980, teve inicialmente seus trabalhadores representados pelo Senalba, apesar do numero de filiados serem pouco representativo. No final dos anos 80, por iniciativa dos trabalhadores do HC, estes passaram a ser representado pelo Sindesc.

No inicio dos anos de 1990, mais exatamente em 1992, quando da fundação do Sinditest, os trabalhadores da Funpar lutaram PARA QUE O SINDITEST FOSSE SEU REPRESENTANTE SINDICAL. De lá para cá, muita luta foi travada, entre elas, os mais antigos lembram, foi pela conquista do vale alimentação, que tinha como slogan “Este Vale Vale uma Luta”.

Nos últimos 22 anos, o Sinditest legalmente representou os trabalhadores em TODOS os acordos coletivos da categoria.

É essa entidade também que recolhe o chamado “imposto sindical” (contribuição compulsória do trabalhador que é devolvida posteriormente, já que a atual direção do Sinditest acredita que essa “taxa” coopera para a burocratização das entidades representativas).

O Sinditest, portanto, não apenas é uma entidade que representa legalmente a categoria, mas, também, é reconhecido pelos trabalhadores como seu representante de direito e de fato.

Representação do Vitor Ferreira
Esse histórico de luta, de coragem e determinação do Sinditest na defesa por melhores salários, aliado ao desejo em participar das eleições para reitor da UFPR, levaram os trabalhadores do Hospital Maternidade Vitor Ferreira do Amaral, a solicitar, formalmente (oficio e abaixo assinado, que o Sinditest também os representassem).

O Sindicato, na época, acolheu a reivindicação feita pelos trabalhadores e entrou com pedido de representação legal junto ao Ministério do Trabalho. Recentemente, o Tribunal Superior do Trabalho deferiu parecer negando a representação do Sinditest junto aos trabalhadores do Vitor Ferreira do Amaral. A divulgação de calúnias, atitude essa ardilosa, é inaceitável dentro de uma universidade democrática, centenária.

Essa ação não vem sendo tomada por acaso. Ela chega no momento em que os trabalhadores da Funpar se organizam em torno do acordo coletivo da categoria. O ACT deveria estar em vigência desde o dia 1° de maio.

Portanto, é evidente que a postura da Reitoria e Funpar não têm outro objetivo senão atrasar as negociações da comissão eleita pela categoria, para realizar o acordo de 2016/2017.

Por trás desta atitude existe um claro interesse em desmobilizar a categoria, de impor a mesma uma representação patronal, em fina sintonia com a Reitoria, ou seja, uma representação que em nenhum momento será defendido o interesse dos trabalhadores.

Assessoria de Comunicação do Sinditest

 

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X