Na UTFPR, candidatos à reitoria estão “otimistas”

0

im23

 

A eleição que escolherá o novo reitor da UTFPR tem transcorrido de forma tranquila. A votação começou às 9 horas e vai até as 21h30 e não houve o registro de nenhum incidente grave. Concorrem as chapas “Autonomia para a Integração” (Marcos Schiefler Filho e Jean-Marc Lafay – chapa 1, oposição), “Muda UTFPR” (Nanci Stancki da Luz e Volmir Sabbi – chapa 2, oposição) e “UTFPR Rumo à Classe Mundial” (Luiz Alberto Pilatti e da Vanessa Ishikawa Rasoto – chapa 3, situação).

No campus Curitiba, que também é sede da reitoria, os candidatos se mostraram otimistas. “Eu, pelo menos, estou otimista”, declarou o candidato da situação, Luiz Alberto Pilatti. “Tenho o apoio de 12, dos 13 diretores-gerais dos campi.” O candidato havia acabado de chegar do campus Ponta Grossa, onde também foi diretor-geral, de 2004 a 2012. “Lá, está extremamente favorável. Metade do campus está usando o meu bottom.”

Nanci Stancki da Luz foi outra a se dizer “otimista”. Não só entre os discentes, segmento no qual sua campanha tinha visivelmente mais força. Estudantes circulavam em bom número com adesivos e camisetas de sua campanha próximos ao local de votação. “Crescemos no decorrer da campanha. Vários docentes se aproximaram da gente. Ganhamos adesões nos três segmentos. Tanto na capital quanto no interior. As perspectivas são boas”, avaliou.

Um dos apoiadores da chapa de Nanci é Rodrigo Destefani, técnico administrativo da UTFPR há 24 anos. “Esse é um programa mais democrático, com propostas que foram discutidas com a comunidade. O grupo é heterogêneo. Por isso, me identifiquei”, pontuou. Destefani, no entanto, já chegou a apoiar o grupo político que hoje administra a reitoria, e foi chefe de gabinete de um dos diretores-gerais do antigo Cefet, Arildo Dirceu Cordeiro, nos anos de 2000 e 2001. “Mas não vi aquele projeto ser desenvolvido. Agora, aposto em um novo projeto”, empenhou.

“Guarde isso que vai ser histórico”

Logo que viu o assessor de comunicação do Sinditest-PR chegar ao local de votação, Marcos Schiefler Filho lhe estendeu um pequeno material campanha, popularmente conhecido como “santinho”, e disse: “Guarde isso. Vai ser histórico”. Também parecia otimista. Os dois combinaram de conversar em seguida, mas o candidato acabou precisando se deslocar para o campus Ecoville e posteriormente os contatos telefônicos caíram na caixa postal.

Vinícios Mazzuchetti, aluno da pós-graduação em Estudos de Linguagem e eleitor de Schiefler, justificou seu voto: “Na atual gestão, os estudantes nem tem representação no Conselho Universitário (Couni). Em uma universidade com 13 campi, a reitoria deveria dar algum suporte para que houvesse um pleito. Mas não é do interesse deles. E ainda existe a corrupção. As diárias escandalosas. Falta dinheiro para os campi, mas sobra para a reitoria”, protestou.

Apoiador da candidatura de Luiz Alberto Pilatti, Gilson Sato, pró-reitor adjunto de Pesquisa e Pós-Graduação, defende a atual gestão. “Fizemos várias coisas em estruturação e operacionalização. Em dez anos, os cursos de pós-graduação foram de cinco para 52”, calculou. “Estou otimista. Acredito que o Pilatti vai encabeçar essa consulta. E espero que as coisas continuem nessa toada.”

O início da apuração está previsto para as 22 horas.

Sandoval Matheus,
Assessoria de Comunicação do Sinditest-PR.

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X