Em protesto, servidores tentam pressionar ministro a negociar reajustes

0

Nelson Barbosa havia agendado reunião para 20 de março. Ato em frente ao MPOG marca início da Campanha Salarial Unificada de 2015

Uma manifestação de aproximadamente 150 servidores públicos federais, em frente ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), marca o início da Campanha Salarial Unificada de 2015, em Brasília. Com cartazes e faixas, os trabalhadores estão reunidos no local, desde às 9h desta quarta-feira (25/2), para pressionar o ministro Nelson Barbosa a recebê-los a partir de hoje. O líder da pasta havia agendado uma reunião para discutir o tema em 20 de março.

Segundo a assessoria da pasta, não há como o ministro recebê-los hoje porque ele está em viagem. Para evitar conflitos, 28 homens da Polícia Militar foram deslocados para o local. A manifestação, no entanto, é pacífica.

Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos, que reúne 33 representantes de classe, criou uma agenda de atividades para março, com discussão sobre indicativo de greve, e jornada nacional, em Brasília, em 7, 8 e 9 de abril, para uma força tarefa no Congresso. Foi definido um índice linear de reajuste de 27,3%.

O percentual tem como ponto de partida o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de agosto de 2010 a julho de 2016, em torno de 44%, já descontados os 15,8%, em três parcelas (2013, 2014, 2015), mais ganho real de 2%. E não exclui outras demandas e a correção de distorções que, inclusive, fazem parte de termos de acordo já firmados com o governo.

Outras reivindicações da categoria são a definição da data-base em 1° de maio; a paridade salarial entre ativos, aposentados e pensionistas; a incorporação de gratificações produtivistas; isonomia de benefícios; a revogação das Medidas Provisórias 664 e 665, que determinam novas regras para acesso a benefícios previdenciários como, por exemplo, Abono Salarial, Seguro Desemprego e Auxílio Doença.

Fonte: Correio Braziliense 

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X