Trabalhadores e trabalhadoras aprovam paralisação para o dia 16

421

um1

Os trabalhadores e trabalhadoras da base do Sinditest aprovaram nova paralisação para o dia 16 de agosto, próxima terça-feira, em assembleia realizada nesta quinta-feira, 11, no Anfiteatro 100 da UFPR. A reunião marcou o Dia Nacional de Luta em Defesa da Educação Pública, realizado na mesma data em que se comemora o Dia do Estudante. Participaram da assembleia o professor Mauro Puerro, da CSP Conlutas, e a militante do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e estudante de Ciências Sociais da UFPR, Lara Senger.

A nova mobilização, marcada para o dia 16, tem o objetivo de organizar uma greve geral dos serviços público e privado, além de outras ações de combate aos retrocessos que estão tramitando no Congresso Nacional. São propostas que atacam não só os direitos trabalhistas, mas as áreas da saúde e da educação e a liberdade de expressão.

O professor Mauro fez uma detalhada explanação sobre os diversos projetos que ameaçam o povo brasileiro. Os principais ataques são as reformas trabalhista e previdenciária, os projetos de terceirização e privatização, o projeto Escola Sem Partido (Lei da Mordaça) e o pacotão de arrocho fiscal composto pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 e pelo Projeto de Lei (PL) 257/2016.

Iniciados no governo Dilma e fortalecidos do governo ilegítimo de Michel Temer, esses projetos retiram direitos da população e beneficiam os bancos e as multinacionais. Ou seja, favorecem o sistema financeiro às custas do povo trabalhador, que leva o país nas costas.

Em sua fala, a estudante Lara explicou como a Lei da Mordaça impõe censura aos professores. Tocado pelo setor mais conservador e reacionário da política, o projeto Escola Sem Partido pretende impedir discussões importantes na sociedade, como os direitos das mulheres e das populações LGBT, indígena e negra.

PL 257

A delegação do Sinditest que foi a Brasília na última terça-feira (9) para tentar barrar a votação do PL 257 aproveitou a assembleia para informar a base sobre as artimanhas nefastas utilizadas pelos deputados federais para aprovar o texto, e sobre os encaminhamentos do Fórum das Entidades dos Servidores Públicos, realizado na capital federal.

“No Congresso está escrito que ali é a casa do povo, mas impedem o povo de entrar por não estar de gravata. Depois de ficarmos mais de duas horas esperando no sol para entrar no Salão Verde, eles nos impediram porque estávamos sem gravata. E ainda fomos chamados de vagabundos”, relatou o coordenador de Assuntos Jurídicos e Relações de Trabalho, Luiz Fernando Mendes.

Ele fez questão de lembrar como a maioria dos parlamentares é suja: Eduardo Cunha (PMDB) controla mais de 250 deputados federais, que estão postergando a votação de sua cassação, e há 30 senadores na lista de corrupção da construtora Odebrecht.

O coordenador de Combate às Opressões Anderson Spier Gomes, que também esteve em Brasília, contou que os deputados atrasaram a votação do PL 257 de propósito. “Eles votaram o PL na madrugada para fugir da pressão dos sindicatos e dos movimentos sociais, só esperaram um piscar de olhos dos manifestantes para aprová-lo. Precisamos estar em constante alerta”, ressaltou Anderson, que lembrou da importância de trabalhadores e trabalhadoras do setor público e da iniciativa privada se unirem para lutar contra os retrocessos.

O PL 257 foi aprovado na última terça (9), porém, as emendas ao texto ainda serão votadas na semana que vem. Por isso, é importante que a mobilização contra a proposta continue firme.

VÍDEO | Clique aqui e assista na íntegra a assembleia.

FOTOS | Para visualizar as fotos clique aqui.

OFÍCIO | A notificação da paralisação está disponível para download aqui.

OFÍCIO UNILA | Para acessar a notificação da UNILA clique aqui.

um2

UFPR

um3

Campo Mourão

Exif_JPEG_420

Unila

um5

UTFPR Apucarana

Luisa Nucada
Assessoria de Comunicação e Imprensa do Sinditest-PR.

 

Compartilhar.

Autor

421 Comentários

  1. Pingback: any new free dating sites

  2. Proper say of cost of ivermectin pill. ivermectin 12 mg tablets for sale is largest taken as a individual dosage with a non-restricted glass (8 ounces) of damp on an deserted stomach (1 hour in the vanguard breakfast), unless in another manner directed nearby your doctor. To expropriate luminously up your infection, decide this medication bang on as directed. Your doctor may want you to remove another administer every 3 to 12 months. Your doctor may also command a corticosteroid (a cortisone-like pharmaceutical) to save unspecified patients with river blindness, mainly those with stony symptoms. This is to facilitate convert the infection caused by the destruction of the worms. If your doctor prescribes these two medicines together, it is eminent to abduct the corticosteroid along with stro-me-ctol. Take them undeniably as directed close your doctor. Do not be nostalgic for any doses. Dosing. The dose of this medicine drive be special on peculiar patients. Observe your doctor’s orders or the directions on the label. The following information includes merely the run-of-the-mill doses of this medicine. If your dosage is another, do not modulation it unless your doctor tells you to do so. The amount of nostrum that you take depends on the perseverance of the medicine. Also, the number of doses you take each day, the epoch allowed between doses, and the completely of nevertheless you study the physic depend on the medical problem for which you are using the medicine.

Leave A Reply

X