Estudantes conseguem barrar o fechamento de cursos técnicos na UTFPR

0

Estudantes do Grêmio Estudantil César Lattes (GECEL) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) de Curitiba conseguiram na justiça suspender o processo de fechamento de dois cursos técnicos. Eletrônica e Mecânica são os últimos cursos técnicos integrados ao nível médio ofertados pela instituição na capital.

“Foi um processo em que a decisão já estava tomada, a gente não participou, não teve conversa”, conta o estudante do 4º ano de Mecânica, Guilherme José Pavesi. “Fizemos manifestações ano passado, pautamos a universidade e junto com isso a gente entrou com processo judicial contra a UTFPR”.

im40

Estudantes da UTFPR durante mobilização no final de 2015

 

Conforme decisão do dia 15 de março do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, a instituição deve convocar os 40 alunos que têm direito às vagas. Ainda, o processo de redução das vagas foi considerado ilegal.

“Estes alunos que não iriam entrar, agora vão. É um passo gigantesco pra gente conseguir barrar o fechamento. O que a gente quer da direção é que eles não façam nenhuma tentativa de fechar os cursos sem amplo debate com a comunidade”, argumenta o estudante.

Desde o ano passado até este ano o número de vagas oferecidas para o ensino médio (antigo CEFET) caiu pela metade, de 40 reduziu para 20.

A decisão judicial é uma vitória parcial dos estudantes já que o plano da Reitoria é a completa extinção da modalidade até 2020. “Isso não resolve o problema do fechamento, mas dá uma pressionada e desmoralizada na administração. Precisa discutir com os estudantes. É uma primeira vitória importante pra gente continuar brigando para que o técnico não acabe”, enfatiza Carlos Pergurski, servidor na UTFPR Curitiba e coordenador geral do Sinditest.

Falta investimento

Em sua página no Facebook o Grêmio Estudantil rebateu a administração. Para o movimento a extinção dos cursos não faz parte de uma mera transição do CEFET para Universidade Tecnológica, mas é o reflexo da política adotada pelo Governo Federal, de nenhum investimento e de redução drástica de verbas para a educação pública.

Guilherme lembra que a administração da Universidade Tecnológica vem fechando aos poucos os cursos, primeiro reduzindo as vagas, depois, deixando de fazer o processo seletivo. Dos 13 campi da UTFPR apenas Curitiba, Pato Branco (Agrimensura) e Campo Mourão (Informática) ainda ofertam cursos técnicos.

Hoje a instituição conta com os cursos técnicos que estão – ou já estiveram antes de serem fechados – entre os melhores do país. “Estão precarizando e tentando isolar os cursos e no interior é justamente onde são mais necessários”, analisa Guilherme. “São cursos de qualidade, eu mesmo vi meus colegas ingressando nas grandes universidades no Brasil”, observa.

Adriana Possan
Assessoria de Comunicaçao do Sinditest-PR

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X