“Charlie Hebdo”: um atentado que fortalece a extrema direita europeia

0

O atentado à sede do jornal satírico francês “Charlie Hebdo” que matou 12 pessoas nesta quarta-feira (7), em Paris, é assunto mundial. Um ataque não somente à liberdade de imprensa e à esquerda crítica, mas também às lutas dos trabalhadores de todo o mundo e, em particular, aos povos islâmicos.

Segundo Mauro Puerro, da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, essa ação fascista só beneficia a extrema direita e o imperialismo. “Poderá ter efeito similar na ofensiva da direita mundial contra os imigrantes, principalmente os islâmicos, ao ataque às Torres Gêmeas pela Al Qaeda em 2001”, afirma.

Entre as vítimas estão o diretor da publicação, Stéphane Charbonnier, conhecido como Charb, e outros três cartunistas. Dois deles, Cabu e Wolinski, tem sua origem política e artística na geração que originou os protestos de maio de 1968 na França, uma marca presente na trajetória do semanário.

Wolinski, o mais antigo dos cartunistas assassinados, era referência para boa parte dos chargistas políticos de todo o mundo, assim como para chargistas brasileiros.

O ataque provocou manifestações imediatas nas ruas da França e já se estendem a outras capitais europeias. A hashtag #JeSuisCharlie (#EuSouCharlie) toma conta das redes sociais.

Esse não foi o primeiro ataque sofrido pelo jornal “Charlie Hebdo”, que também sofria constantes ameaças. Em 2011, época em que publicou charges do profeta Maomé, sua redação foi alvo de um incêndio criminoso.

A publicação não recuou da denúncia do que considerava repugnante conforme declarou Charb em entrevista após o primeiro ataque. “A Frente Nacional e o fascismo islâmico são da mesma seara e contra eles não economizamos nossa arte”.

Infelizmente a ultra direita francesa e europeia devem estar felizes porque saem fortalecidas em momento de crescente ódio aos imigrantes, principalmente islâmicos. “Essa ação vai permitir a intensificação dos ataques contra os imigrantes na Europa, por isso a esquerda e as organizações dos trabalhadores devem estar à frente da denúncia desse crime bárbaro, assim como da denúncia e luta implacável contra o uso que a direita fascista vai fazer do fato”, enfatiza Mauro.

Matéria de interesse:

http://blogdaboitempo.com.br/2015/01/07/atentado-contra-a-extrema-esquerda-na-franca/ 

As seis charges mais polêmicas do Charlie Hebdo

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/01/charges-mais-polemicas-da-charlie-hebdo.html 

(Com informações do Blog da Boitempo e Folha de S. Paulo)

*Charge Carlos Latuff

Fonte: CSP-Conlutas

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X