Assembleia geral reforça a importância de permanecer em luta

0

om49

Com a repressão vindo de todos os lados – governo, polícia e Judiciário – é hora de trabalhadores e trabalhadoras intensificarem a luta contra a retirada de direitos, inclusive o de fazer greve. Foi o recado dado pela Coordenadora Jurídica da FASUBRA e técnica da Unicamp, Adriana Cristina Stella, durante a assembleia geral realizada na manhã de terça-feira (8), no pátio da Reitoria da UFPR.

Adriana foi convidada pelo Sinditest a fazer uma fala contextualizando a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) favorável ao corte de ponto de servidores(as) públicos(as) em greve com a conjuntura de ataques à classe trabalhadora, iniciados nos governos do PT e impulsionados com Temer.

A decisão ainda não foi publicada no acórdão do STF e, portanto, não pode ser aplicada. Após a publicação, ainda cabe recurso para tentar reverter a determinação. Porém, no Nordeste, a Procuradoria Federal da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) já recomendou que o ponto dos(as) servidores(as) em greve na instituição seja cortado, mesmo antes da publicação do acordão.

“Não é o caso de tranquilizar vocês. Eu venho aqui para encorajá-los. Fazer greve é um ato de rebeldia. Nós não fazemos greve porque está na lei. Nós não fazemos greve porque é permitido. Nós fazemos greve para mudar a lei, para mudar o que está errado. É o tamanho de toda a nossa força que vai dizer se tem ou se não tem corte. É na negociação com o reitor. Porque o reitor olha pela janela na hora de fazer a negociação, para medir o tamanho da mobilização”, afirmou.

Reunião com reitores

om50

Nos informes, o Comando Local de Greve comunicou que o reitor Zaki Akel tem ignorado a greve dos(as) técnicos(as), e não recebeu os(as) grevistas por “falta de agenda”, apesar de ter mostrado grande diligência para negociar a desocupação do prédio histórico da UFPR com os(as) estudantes.

Na assembleia da manhã desta terça-feira (8), os(as) técnicos(as) aprovaram ações de pressão ao Reitor da UFPR para que ele se posicione contra o corte de ponto.

Na UTFPR, os técnicos e técnicas conseguiram uma reunião com o Reitoria da instituição, marcada para o dia 17, quinta-feira, às 16h30, no câmpus central.

Comando Nacional de Greve

Trabalhadores e trabalhadoras também aprovaram uma nova delegação de representantes do Comando Nacional de Greve, que irá a Brasília acompanhar as atividades da FASUBRA. Os(as) novos(as) integrantes são: Dayane Carolina Paulino, da UNILA, José Carlos Assis e Max Colares, da UFPR/HC, Marisa Ribas Arruda, da UTFPR Medianeira, Claudia Nardin, da UTFPR de Dois Vizinhos e Celia de Jesus, da FUNPAR/HC.

Temporada nas sedes de praia

A assembleia debateu uma nova forma de alugar os quartos nas sedes de praia. Foi aprovado que não será mais feita a fila na sede administrativa para concorrer às vagas, mas sim um sorteio. Um edital com o período e as regras de inscrição será publicado neste site. Tudo será feito de forma transparente, com a participação dos filiados para evitar qualquer desconfiança sobre o processo.

Paralisação Nacional do dia 11

A atividade aprovada para o Dia Nacional de Paralisação, 11 de novembro, sexta-feira, foi concentração com café da manhã na Tenda da Greve, no pátio da Reitoria da UFPR, às 9h30. Às 10h, os(as) trabalhadores(as) sairão rumo à Praça Rui Barbosa. Das 11h às 13h, será realizado um ato com panfletagem.

Participe! Acompanhe as atividades de greve em nossa agenda: http://sinditest.provisorio.ws/agenda/

Luisa Nucada,
Assessoria de Comunicação e Imprensa do Sinditest-PR.

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X