Reitoráveis não apresentam propostas concretas para base do Sinditest

0

om59

A expectativa era que o 4º debate entre as candidaturas à Reitoria da UFPR, realizado no auditório do sétimo andar do Hospital de Clínicas (HC/UFPR), trouxesse propostas para os trabalhadores e trabalhadoras do hospital, em resposta aos anseios da categoria. No entanto, nada de concreto foi posto à mesa durante o evento.

A chapa 1 – formada pelo candidato a reitor Marcos Sunye e pela candidata a vice-reitora Andrea Caldas – disse que vai fazer mapeamentos do quadro funcional da FUNPAR para buscar uma solução que garanta o emprego das e dos fundacionais. A chapa 2, composta pelo candidato a reitor Ricardo Marcelo Fonseca e pela candidata a vice-reitora Graciela Muniz, prometeu renegociar o acordo judicial da FUNPAR/HC com o Ministério Público do Trabalho e com a Justiça do Trabalho, sem, no entanto, dizer como o faria nem assegurar resultados.

Realizado pela Comissão Paritária de Consulta (CPC) – integrada por Sinditest-PR, APUFPR/Sind e DCE – na quinta-feira (25), das 8h às 10h30, o debate foi marcado pela ausência de abordagem de temas de interesse dos trabalhadores e trabalhadoras do HC. Enquanto os concorrentes se alfinetavam, nada foi proposto a respeito do Ambulatório dos Funcionários (AF), do refeitório do hospital, de adicionais de insalubridade nem de pagamentos de salários e benefícios atrasados.

Em suas considerações finais, os candidatos e candidatas perderam a oportunidade de apresentar soluções para o corpo funcional do hospital. Nenhuma das chapas se comprometeu com as reivindicações da categoria.

FUNPAR

O candidato da chapa 2, Ricardo Marcelo, afirmou que irá convencer o Ministério Público e a Justiça do Trabalho da importância dos funparianos e funparianas, e renegociar o termo de ajustamento de conduta que prevê a demissão até 2019. Quanto aos trabalhadores da Ebserh, o reitorável afirmou que o contrato com a empresa não pode ser denunciado, sob pena de colocar 400 pessoas na rua.

Ricardo Marcelo ainda afirmou que é necessário harmonizar os direitos dos três vínculos empregatícios do hospital – FUNPAR, RJU e Ebserh. “Duas pessoas que atuam em um mesmo laboratório não podem ter adicionais de insalubridade diferentes”, declarou.

A chapa 1 disse que vai realizar planejamentos detalhados desde o início, em busca de uma transição justa e uma solução definitiva, que não postergue o problema para a próxima gestão ou que simplesmente prolongue o tempo para demissão dos funparianos e funparianas. “Não vamos chegar pedindo mais prazo”, prometeu Andrea, lembrando que existe brecha no acordo para que haja demissão antes de 2019.

Sunye lembrou que a terceirização da lavanderia do HC está provocando transtornos e estresse para os trabalhadores e trabalhadoras. Ricardo Marcelo afirmou que atividades fim não devem ser terceirizadas.

Ambas candidaturas falaram sobre Plano de Demissão Voluntária (PDV). Sem levar em conta, porém, o entendimento do Sinditest, que é contra. Para o Sindicato, o PDV promove a desunião dos trabalhadores e trabalhadoras.

Temas abordados

O formato elaborado pela CPC abre espaço para que docentes, estudantes e servidores e servidoras técnico-administrativos façam perguntas, além de permitir que as candidaturas questionem uma à outra a partir de temas sorteados. Desse modo, as candidaturas falaram de Tecnologia da Informação, das formas de financiamento das campanhas, de judicialização de greves estudantis e de internacionalização. Infelizmente, não surgiram temas mais específicos à realidade do HC.

Diante de uma pergunta feita pelos estudantes sobre a posição dos reitoráveis quanto ao aborto, eles se furtaram a responder, solicitando à CPC que outro questionamento fosse sorteado. As candidaturas fugiram da oportunidade de falar sobre esse tema de saúde pública e de direitos reprodutivos da mulher, que são defendidos pelo Sinditest.

Outros três debates ainda estão programados pela CPC, antes dos dias 27 e 28 de setembro, datas em que a votação ocorrerá. O Sindicato espera que os assuntos abordados tenham mais proximidade com a realidade da comunidade do local. No debate de Palotina, que será realizado no dia 1º de setembro, a expectativa é que a principal pauta seja as 30 horas.

Participe deste momento democrático da UFPR. Compareça nos debates, opinem no facebook https://www.facebook.com/cpcufpr e visitem o site da CPC.

om60

Luisa Nucada,

Assessoria de Comunicação e Imprensa do Sinditest-PR.

Compartilhar.

Autor

Leave A Reply

X