NOTÍCIAS

05/06/2017 - Geral / UFPR

E agora, Ricardo Marcelo? Mesmo fazendo 40 horas, técnicos(as) do Hospital Veterinário sofrem PAD



De nada adiantou cumprir a determinação da direção do setor: trabalhadores e trabalhadoras do Hospital Veterinário serão punidos pela gestão da Universidade com a instalação de um PAD (Processo Administrativo Disciplinar) justificado pelo Diretor do HV professor Rogério Ribas Lange como ato de insubordinação.

O motivo: diante dos problemas enfrentados pelo COUN, para a regularização da jornada flexibilizada das 30 (trinta) horas semanais, os(as) profissionais decidiram, em assembleia setorial da categoria, voltar a realizar as 40 (quarenta) horas semanais a partir deste mês - desde 1º de junho o hospital veterinário funciona dentro do horário comercial, das 7h30 às 12h e das 13h às 16h30.

Desde então, o diretor do Hospital Veterinário, de forma arbitrária e intransigente, passou a querer obrigar os(as) funcionários(as) a manter a unidade em funcionamento durante 12 (doze) horas ininterruptas. A ameaça não ficou só no papel e foi concretizada hoje à tarde, dia 05, com a instalação do PAD.

Vale lembrar que não há nenhuma obrigatoriedade legal para que as técnicas e técnicos administrativos trabalhem 12 (doze) horas diárias ininterruptas.

Mais uma vez, a direção da Universidade dá um tiro no pé: descumpre promessa de campanha e assedia o(a) trabalhador(a).

Balela?


Durante a campanha a promessa era: “a questão das 30 horas é crucial e deve ser tratada com responsabilidade! A reitoria deve tomar para si a tarefa de coordenar e viabilizar a implantação das 30 horas para servidores técnico-administrativos. O professor Ricardo Marcelo já fez essa implantação quando foi diretor do Setor de Ciências Jurídicas, respeitando a legislação, com muito diálogo e com total sucesso de gestão, administrando o espaço físico das unidades e estabelecendo o compartilhamento das funções. Esse é o caminho que a UFPR pode esperar com a Chapa 2!”.

Ficou só na papel? Os(as) trabalhadores(as) cobram agora um posicionamento urgente do Reitor Ricardo Marcelo, que durante o pleito à Reitoria prometeu à categoria a manutenção e ampliação das 30 horas.




Clique aqui e leia o ofício protocolado pela direção do Sinditest.

Silvia Cunha,
Assessoria de Comunicação e Imprensa Sinditest-PR

 


Veja mais notícias GERAL