Estatuto

O estatuto vigente do Sinditest foi criado e aprovado em 2015 após ampla discussão para a melhoria na organização do sindicato.

O antigo estatuto do Sinditest seguia o modelo criado na era Vargas e reforçado pelos militares na ditadura: era um estatuto típico de uma entidade burocrática, assistencialista, em que um “presidente” aparecia diante da categoria como o “salvador da pátria”, passando a mão na cabeça dos trabalhadores enquanto negociava secretamente com a patronal, garantido vantagens para si, para os patrões, e conservando a base afastada de qualquer processo efetivo de participação política.

Com o novo estatuto foi extinta a figura do “presidente ditador” e do “tesoureiro ditador”. O Sinditest passou a ser uma diretoria colegiada, isto é, formada por diretores que têm o mesmo poder de voz e voto nas reuniões, sem hierarquia. Cada diretora, cada diretor, responde por sua coordenação: coordenação geral, coordenação de comunicação, coordenação de administração e finanças etc. Nossa federação, a FASUBRA, é um exemplo de estrutura colegiada. Não há sobreposição ou superpoderes para ninguém.

Também foi instituída a Organização por Local de Trabalho (OLT) para alcançar um modelo onde a base decida mais do que a Direção, e para que os trabalhadores da base passem a ver no sindicato não a solução milagrosa de todos os seus problemas, mas uma ferramenta para a sua própria luta, é preciso que exista organização de base. Em cada local de trabalho existem delegados sindicais eleitos pelos próprios colegas, e que são a representação do sindicato na base. Esses delegados sindicais fazem parte de um Conselho de Delegados Sindicais, que se reúne periodicamente e determina a linha política do sindicato. Nessa estrutura, a diretoria eleita seria apenas um órgão executivo do Conselho de Delegados. Com isso, inverte-se a estrutura de decisão e comando: o Conselho de Delegados decide, a diretoria do sindicato implementa.

Conheça nosso estatuto